A política no país da piada pronta

Cada dia mais horrorizado com a política neste país. Vendo meu facebook, deparei-me com isto:
alguém que acha que matar um resolve... os dois... sei láfonte: Humans of Protesto, Facebook

e me vem claramente o por que de estarmos vivendo uma época eleitoral tão longa… é uma coisa ridícula as pessoas não entenderem que no jogo político se perde ou se ganha. Mas estamos vivendo um momento em que determinado lado perdeu – pela quarta vez seguida, não canso nunca de repetir – e não se conforma.

Outra pérola dos incessantes esforços de combate à corrupção (do PT, entendam):

alguém torcendo pelo sarneyfonte: Humans of Protesto, Facebook

Já dá para ver o nível da coisa. Só para te deixar mais angustiado:

Tudo sempre é culpa do PTfonte: Stanley Burburinho, Facebook

Consigo imaginar o motivo de tanto ódio – ou burrice – classe por classe:

  • classe média: pagar direitos trabalhistas para empregadas domésticas é o cúmulo!! onde já se viu? Primeiro, ninguém consegue mais alguém pobre para vir trabalhar em casa de família, para sair do sertão e viver na cidade (entenda-se como vir para um lugar onde a menina será escrava branca, trabalhando como doméstica de graça, em troca de restos de comida, roupas usadas, algo para se limpar e o direito de ir estudar de noite – mas voltando cedo, que amanhã tem batente) e agora esse povo pobre ainda quer inventar isso de entrar em faculdade. Meu Deus!!! Já não basta pagar imposto para o bolsa esmola dessa gente?
  • evangélicos preconceituosos: PT é comunista ==> comunismo é coisa do capeta ==> PT é do capeta!!! (reparem porém que, apesar de dizerem os adeptos do anti-comunismo que os vermelhos querem que demos tudo aos pobres, quem disse isso foi Jesus Cristo (veja aqui e também aqui), e não Marx!!). Essa afirmação de que comunismo é demoníaca é ainda mais frágil quando se entende o objetivo do comunismo: produção planejada, com os resultados comuns a todos, indistintamente, para satisfação das necessidades das pessoas. Dizer que uma sociedade mais justa e igualitária é coisa do demo é muito estranho.
  • pobres que se acham ricos: nem sei se vale a pena tentar entender. Creio que o fato aqui é modismo. Já vi muita gente que teria morrido de fome se não fosse a mudança que o PT trouxe ao país reclamando que eles estão destruindo o Brasil; gente contratada em concurso graças à ampliação da rede federal de ensino dizer que Lula não fez nada pela educação; gente que mentiu descaradamente para receber benefícios indevidos, reclamar de corrupção; enfim, é complicado, e creio ser melhor deixar para lá.
  • ricos. Gente verdadeiramente rica: estão satisfeitíssimos. Vendendo seus produtos como nunca. Reclamar do que? O povo tem dinheiro para gastar, e com o dólar alto – finalmente criaram juízo e pararam essa loucura de paridade cambial – é mais barato gastar aqui. Vejam o que diz esse senhor nesse link. Ele mesmo afirma que, sendo tucano e não petista, tem autoridade para falar

O que temos não é nem de longe uma manifestação como nas Diretas Já, onde todos que estavam lutando, em primeiro lugar, se arriscavam a tomar porrada da polícia, e estavam lutando por algo que todos concordavam. Bastava da ditadura. Agora não é assim. Vemos um bando de inconformados sabe-se lá por que, com uma intenção clara apenas de reclamar, que foram convencidos que tudo é culpa unicamente do PT; claro, tenho minhas ressalvas ao PT:

  • partido dos trabalhadores mas que trabalha mais para os patrões. Rigorosamente todos os programas e planos petistas são, em última análise, para o desenvolvimento do comércio e indústria no Brasil.
  • na prática, pelo menos por algum tempo, manteve a criminosa política econômica do senhor Fernando Henrique Cardoso e seus asseclas

Mas, não por ser a melhor opção, votei e votarei novamente no PT, caso a oposição seja PSDB ou algo minimamente semelhante – entendam todos os partidos. Pois é assim que funciona: partido nenhum é diferente. Tem lá suas ‘estratégias’, ‘focos’, e discursos, mas no fim o que se pretende é chegar ao poder. E depois continua mais do mesmo. Quem não entende a diferença entre poder e governo acha algo estranho, mas não sabe o que é. A grande verdade, é que o PT chegou ao governo porque o poder deixou. Com o discurso menos radical em 2002, Lula mostrou que não morderia a mão que alimenta o governo: o dinheiro.

Na era FHC, tivemos sérios problemas econômicos, o único que não foi causado pela desastrosa política da época foi a inflação – e não conseguiram contê-la, mas mascará-la por algum tempo. Quem, em sã consciência, trocaria 15~20% mensais garantidos para arriscar esse mesmo retorno anual? Pois bem, num cenário onde o Brasil pagava 45% de juros a ‘investidores’ estrangeiros (março de 1999, veja aqui nesse link), quem pegaria seu sofrido e merecido dinheiro para abrir uma empresa? Melhor depositar em banco!! O resultado disso é óbvio: desemprego.

Evolução do desempregofonte: https://brasilfatosedados.wordpress.com/2010/09/09/desemprego-evolucao1986-2010-2/

E agora, quem realmente se importava com isso, fora claro os desempregados?

Estranhamente, os patrões. Essa é uma das contradições mais claras do capitalismo: uma das formas de aumentar os lucros é diminuir os salários, mas aí os empregados não consomem, o que diminui os lucros. Para aumentar os lucros, demitem-se trabalhadores, diminuem-se salários… qualquer um com um mínimo de inteligência percebe que isso um dia não termina bem. No Brasil, em fins da era FHC, estava acontecendo justamente isso. E, claro, o capital estava procurando alguém para substituir o presidente, visto estar governando para o capital estrangeiro, não o nacional. Subitamente, o PT moderou o discurso. A história já conhecemos.

Assim, o PT chegou ao governo. E todos os programas, de uma forma ou de outra, estimulavam o consumo. Construção Civil foi fomentada com o Minha Casa Minha Vida (e graças a esse programa e ao bilionário FGTS o Brasil apenas agora sofre os efeitos da crise do mercado Subprime, que arrasta o mundo para a vala desde 2007), gerando empregos, renda e consumo; Minha Casa Melhor, isenções de IPI de automóveis e da linha branca geraram consumo, mas também emprego e renda; o Bolsa Família gerou consumo em uma classe que não participava do capitalismo: os miseráveis (e fico realmente enojado quando alguém diz que é bolsa esmola ou compra de votos; na época que esse povo morria à míngua de fome, ninguém fazia nada), e em cidades deste país onde não havia praticamente comércio.

O pulo do gato ao contrário, ao meu ver, foi a questão do crédito. Certo, é necessário crédito, mas mais importante é que o povo tenha capacidade de poupança, que sobre dinheiro no fim do mês para guardar e comprar algo que deseja ou precise. Mas ficou fácil DEMAIS conseguir crédito, em qualquer modalidade; aposentados, que em certas situações eram arrimo de família devido à situação de falta de emprego ou baixos salários de familiares, subitamente foram ‘agraciados’ com ofertas incessantes de crédito fácil, rápido, sem burocracia e sem piedade. Há casos em que não sobra nada do salário, após pagar as prestações. E se não poupar é ruim para o povo, pagar juros é muito, muito pior. A capacidade de cumprir as obrigações com os devedores fica cada vez mais distante, os calotes começam a se multiplicar… isso me lembra tanto o que ocorreu no mercado imobiliário nos EUA…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s